8 de set de 2014

LUCIANO CONCEIÇÃO - Sobre Administração e administradores

Leitores queridos,

A pauta do dia é muito especial, vamos discorrer sobre a Administração e sobre administradores! No Brasil o ensino de Administração iniciou no século XX, na década de 50. A Lei nº 4.769 de 1965, regulamentou a profissão, no dia 09 de setembro, por meio da Lei também foram criados os Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/CRAs).
A Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (USP) foram precursoras do ensino e pesquisa de temas econômicos e administrativos no nosso país.
Segundo Maximiano, Administração é o método de decidir sobre objetivos e utilização de recursos. Ele afirma que a administração é relevante em qualquer escala de utilização de recursos com o intuito de realizar objetivos, que podem ser individuais, familiares, organizacionais ou sociais.
Para elucidar a importância da Administração e do administrador faremos uso da analogia, ou seja, a comparação entre estruturas que possuem similaridades e diferenças; a relação de semelhança entre objetos diferentes.  
 A analogia proposta é a seguinte: a vida é como um filme!
O que é necessário para que um filme seja um grande sucesso de bilheteria? A resposta é simples:  um bom roteiro, um bom diretor, um bom elenco e uma boa aplicação dos recursos. Um bom filme precisa de uma boa gestão!
No filme organizacional, o administrador precisa assumir diversos papéis (roteirista, diretor, figurante, ator coadjuvante). O imprescindível é que ele reserve o papel principal para sua equipe, ou seja, compete ao administrador fazer a coletividade reluzir. A equipe deve ser a grande estrela do longa metragem organizacional.
Somos atores que atuam no palco das organizações, assim como nos filmes encontraremos organizações que são uma “COMÉDIA”, pois o serviço e/ou produto é tão ruim que causa risos. Existem organizações que são uma grande “AVENTURA”, improvisam muito, planejam pouco e por isso não sobrevivem! Também há organizações que são “FICÇÃO”, servem apenas para pessoas desonestas “lavarem” dinheiro. Não posso deixar de citar as organizações que são um “DRAMA”, têm tudo para dar certo, mas quase nada funciona como deveria, por isso o descompasso resulta em fracasso. Vale ressaltar que o nosso Brasil é uma organização, bem como os demais países do mundo, basta observar e verificar que tipo de filme nossos gestores estão produzindo.
Administrar é viver! Administração é para vida! A vida é um grande encontro entre organizações (família, escola, religião, etc.). Faremos parte de inúmeras organizações durante a nossa trajetória.
Administração é essencial para o indivíduo e para a sociedade. Quanto mais cedo houver o contato com essa ciência, maiores serão as possibilidades de êxito na vida pessoal e/ou profissional. Portanto é uma disciplina que deve ser trabalhada nas séries do ensino fundamental, pois disponibiliza conhecimentos para que possamos planejar, organizar, dirigir e controlar as contingências da vida.
No Brasil, costumam proferir um bordão de cunho depreciativo: “Quem não sabe o que fazer, faz Administração”. Então prezados leitores, existe coerência nessa afirmação? Sou suspeito para responder, uma vez que sou administrador, registrado no CRA da Bahia, mas preciso esclarecer que a afirmação é equivocada! Os que não sabem o que fazer estão perdidos e desorientados em todos os cursos (tecnólogos, graduação e até mesmo pós-graduação).
Atribuir esse rótulo negativo ao curso de Administração não é coerente. É evidente que essa ciência atende a todos os públicos, ou seja, é importante para quem decidiu a carreira que deseja seguir, da mesma forma que é importante para quem ainda não decidiu!
Há muita gente que pensa que sabe o que fazer, mas na verdade não sabe, hesita, vacila, não planeja e consequentemente segue o caminho errado, mas a vida é assim, um ciclo com erros e acertos, começos e recomeços, entropia e homeostase. Quem administra melhor esse processo consegue alcançar os seus objetivos.
Não há dúvida que no mundo contemporâneo a competitividade é o que possibilita a sobrevivência dos indivíduos e das organizações, para evitar a digressão, ou seja, para não perder o rumo, é importante entender e aplicar o PODC (planejar, organizar, dirigir e controlar).
Planejar é o mesmo que programar, antecipar, definir, por isso amplia a perspectiva de obter êxito e possibilita alternativas para recomeçar, caso seja necessário. Organizar é sair do campo das ideias e começar a estruturar, alocar e empregar o conhecimento. Dirigir é lidar com pessoas, coordenando, motivando, persuadindo, orientando para o rumo certo. Controlar é mensurar, avaliar, corrigir erros, para assim poder alcançar os objetivos.
Maximiano afirma que as organizações afetam a nossa qualidade de vida, seja de maneira negativa ou positiva. Para ele, administradores competentes são recursos sociais importantes. Na vida e nos filmes nem sempre o final é feliz! Para administradores e organizações o “Felizes para sempre” tem prazo de validade.
O ambiente traz mudanças, precisamos traçar estratégias para produzir as cenas dos próximos capítulos, começar e recomeçar quantas vezes forem necessárias e dessa forma, produzir “um grande sucesso de bilheteria”, evitando que a organização se depare com a seguinte frase: Era uma vez.”

FELIZ DIA DO ADMINISTRADOR!

Adm. Luciano da Silva Conceição
CRA/BA - nº 22998


REFERÊNCIAS

MAXIMIANO,Antonio César Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução Digital. 6. ed. – 8. Reimpr. São Paulo: Atlas 2011.

CFA- http://www.cfa.org.br/